domingo, 11 de agosto de 2013

Felicidade Cibernética

Fale sobre sua mãe.. • Não tenho muito o que falar.. • É claro que tem, deveria ter de qualquer maneira, é sua mãe... • Não, não tenho...alias, eu me lembro bem pouco dela... • Que quer dizer, você não é tão velho assim...e deve ter passado muito tempo em casa...vejo seu registro, que você morou na casa dos seus pais até ir à faculdade. • Sim, é isso mesmo...posso pegar mais café? • É claro...sinta-se a vontade. • Voltando a coisa, eu realmente estou sendo sincero...meus país era bons e tudo mais, mas eu não me lembro muito deles...minha infância foi tranquila, mas de fato eles foram um pouco ausentes... • Umm...ausentes, trabalhavam muito? • Também, eu acho...mas eles eram ausente de si mesmo acho.. • Você tem algo de filosofo...porque veio para a área de ciências eletrônicas? • Em parte, porque estive lidando com isso desde muito cedo...fui muito estimulado a aprender com as maquinas, e de fato elas são minhas amigas por assim dizer... • É, os vídeo games sempre são um incentivo.. • Não foi só isso...eu tinha uma babá eletrônica. • Aqueles geringonças monstruosas que faziam café e panquecas? Sério? • É desta mesma..modelo de segunda geração. • Mas elas não foram proibidas? • Eles diziam isso, mas elas não foram proibidas, as pessoas é que foram proibidas de deixar suas crianças sob os cuidados de um....acho que foram alguns acidentes da terceira geração, parece que elas tinham uns maus hábitos que acabaram matando algumas crianças.. • Mas mesmo assim seus pais deixaram você com uma coisa dessas... • Ela não era uma coisa..era uma boa pessoa, alias a melhor de todas as pessoas que conheci.. • Ummm...maquina como pessoa? Acho que estamos caminhando para um lugar estranho, mas maquinas não são pessoas...são apenas coisas. • É um ponto de vista, mas acho que... • Sim, prossiga..... • Não estou certo de que deveria seguir nesta linha de raciocínio, estamos em uma entrevista de emprego, e eu gostaria muito de trabalhar nessa empresa.. • Entendo...mas acho que sua opinião sobre a relação homens e maquinas faz parte disso, não? • Eu tenho lido sobre a política da empresa, e parece que há toda uma definição interna de maquina e pessoas... • Sim, claro. Estamos eu um pais de normas e leis...não vivemos a sombra e a margem das coisas...por isso, me parece coerente saber sua opinião sobre isso..Voce ia comentando sobre pessoas e maquinas...siga! • Ok! Eu só estava ia dizer que existe empresas que tratam pessoas como maquinas. • Não, nos tratamos pessoas como pessoas... • Mas tem horários? • Claro, funcionários precisam exercer suas funções...como uma grande família, todos precisam cumprir suas funções...se alguém falha, a família não funciona.. • Funcionar....eu sempre me perguntei sobre o significado profundo dessa palavra..funcionar, função, fun.... • Sim, claro para isso contratamos FUNCIONáRIOS, porque temos atividades a serem executadas e funções a seres cumpridas... • Sua definição de família é bem interessante, família como organismo funcionalizante.. • Eu não disse isso... • Você já pensou sobre isso? • Eh..não, mas acho que a família.. • Deixa eu dizer uma coisa sobre família...quando eu tinha 10 anos de idade, minha baba eletrônica parou de funcionar...eu fiquei dois eu três dias se cuidados...então, quando percebi que não sabia prepara a comida...eu desmontei a baba e troquei o processador... • Sim ela não exercia mais a função... • Mas eu a fiz voltar a suas funções...quando ela ligou novamente, ela estava limpa, totalmente vazia..então eu a reprogramei para voltar a ser o que era.. • Com 10? Muito bom... • Não, ele nunca voltou a ser a mesma...eu usei um processador do vídeo-game....são apenas peças de fato. Mas quando apareceram as opções de auto programação eu a programei com a diretriz de que deveria me ensinar e viver e a ser o melhor garoto do mundo... • Muito esperto...poderia te-la programado para fazer suas vontades... • Não, ela originalmente já tinha essa programação...e por isso ela pifou, nada pode satisfazer todas as vontades de um menino... • Me parece bem sensato...mas para um menino de 10 anos? • É...eu também acho! Mas digamos que aos 10 eu já tinha vivido bastante para saber as conseqüências de nossos desejos infantis... • Por então... • a babá não fez exatamente o que eu queria, bem ela fez....mas de uma forma diferente.. • me parece tão improvável que uma maquina possa realmente saber como educar uma criança para que se torne um adulto normal.. • ah sim, isso não é mesmo possível...mas a babá também concluiu isso, e para me educar ela decidiu que o único caminho era torna-se uma boa pessoa de forma que pudesse me ensinar a ser uma pessoa descente ....como eu programei para executar a função de me tornar o melhor garoto do mundo, ela entender garoto como protótipo de pessoa....se eu tivesse pedido, tornar o homem mais eficiente e ou o mais rico ela teria tomado outro caminho, mas ela leu garoto como protótipo de pessoa...e para isso teve que aprender a o que é ser pessoa, para me ensinar alguma coisa. • Bem, vejo que ela conseguiu. No seu currículo tem muita coisa boa que você fez, além de ser bom estudante, ações humanitárias e serviços a sociedade... • É...eu gostava de ajudar, e sempre tinha boas moças nessas atividades... • Impressionante...mas e sua babá? Você ainda à tem? Poderíamos experimentar sua programação para outras máquinas....seria uma revolução! • Acho que não... • Onde ela está? Bem...ela se aposentou, e esta buscando a felicidade...depois que fui a universidade, ela se casou com um cara...separou-se, viajou para a índia, casou-se novamente, adotou um cão....ela me escreve todo fim de ano reclamando de que é realmente difícil achar a felicidade.... • Mas você não havia programado para te tornar o melhor garoto do mundo? • Sim, mas ela concluiu que para isso ela deveria ter uma premissa superior, que é a busca da felicidade....buscar a felicidade é a melhor forma de ensinar os indivíduos a serem boas pessoas, de fazer pessoas transcenderem suas funções objetivas e acharem um sentido de ser...na verdade, um tipo especifico e simples de felicidade, não a felicidade estúpida do ter e do poder, mas a felicidade do ser.. • Isso é bonito....mas me fale sobre sua mãe • Bem, a babá matou meus pais...por isso tive que reprograma-la!